O Tarot e a Alquimia


O tarólogo Giancarlo Kind Schimd analisa a correspondência entre o tarot e a Alquimia em seu artigo " O tarólogo e o Alquimista", no Jornal do Amanhã . Eis o que nos diz Giancarlo: " As alegorias que aparecem nas pranchas alquímicas tem uma leve simetria simbólica com as cartas do tarot. Também existe uma sincronicidade simbólica entre as duas áreas, principalmente nos baralhos clássicos e nas pranchas do século XV. O estilo artístico de ambos é parecido, assim como seus traços e cores, apresentando símbolos análogos como sol, lua, estrelas, rei, rainha, leão, anjo, esqueleto demônio e outros.


Sabe-se que muitos alquimistas famosos como por exemplo, Nicholas Flamel, Paracelso, Robert Bacon, Cagliostro, Robert Fludd e outros mais, mantinham estreita relação com os nobres de suas épocas, os mesmos que podiam ter acesso ao tarot.


Pode-se considerar o arcano "O Mago" como o alquimista em seu laboratório, enquanto o arcano "A Temperança" é a própia representação da Alquimia. O famoso magista do século xx, Aleister Crowley produziu juntamente com a desenhista Lady Frieda Harris o "Tarot de Toth", onde ilustrou "A Temperança" com o nome de "Arte, a Alquimia".


No baralho de Wirth o arcano "O Diabo" contém a famosa frase da Alquimia desenhada em seus braços: "SOLVE ET COAGULA", que significa "dissolve e solidifica" numa referência à Opus Alquímica.


Ambos trabalham diretamente com o inconsciente através de símbolos arquetípicos numa linguagem singular.", finaliza Giancarlo.


Os 4 naipes e as 4 figuras dos arcanos menores (rei, rainha, cavaleiro e valete) correspondem ao 4 elementos alquímicos.  Eis uma breve analogia do simbolismo alquímico presente no tarot, que compara os 4 elementos da natureza com os elementos herméticos:


  • • Fogo/Enxofre, no arcano "A Ressurreição"
  • • Água/ Mercúrio Filosofal, no arcano "O Enforcado"
  • • Ar/Mercúrio, no arcano "O Louco"
  • • Terra/ Sal, no arcano "O Mundo"