O Anjo Contrário


Orígenes disse que o ser humano tem duas naturezas: uma racional (Deus), quando pensamos e outra animal( Demônio), semelhante à besta, quando seguimos apenas os instintos.


Conta a lenda que alguns anjos sentiram ciúmes de Deus e se rebelaram. Como se apaixonaram pelas filhas de Noé, foram condenados a ficar presos no “inferno”, o mundo inferior. Há possibilidade disso já ter sido previsto por Deus, mas ele não deu a esses anjos a remissão de suas penas. Ele não interfere no livre-arbítrio de ninguém, por isso não impediu que isso acontecesse.


Os gênios ou anjos contrários acreditaram que podiam imitar Deus, admirando-se a si mesmos, amando-se e sentindo prazer em serem adorados. Deus, mesmo sabendo que eles tinham se desviado do caminho reto, continuou a dar-lhes assistência.


Todos estamos sujeitos a errar, mas insistir neles pode significar a atuação do Gênio contrário. Outro sinal de sua influência são as dúvidas, conflitos e o vazio emocional. Quando ele atua dentro de nós ele tenta corromper de todas as formas a nossa alma. O Gênio contrário representa a ilusão, a cobiça, a raiva, a avareza e o egoísmo. Representa um conjunto de forças que vibram de forma inferior. Ele está ligado ao sexo depravado, às doenças venéreas e aos vícios, que são seus instrumentos de trabalho. Ele atua quando não pensamos e agimos por instinto, como animais, pois ele representa também a falta de raciocínio, a confusão e a preguiça. Sua intenção é destruir nossas forças, facilitando assim sua influência. Quando brigamos à toa com os outros, julgamos precipitadamente ou pensamos uma coisa e dizemos outra, estamos sob a ação do Gênio contrário.


Se estivermos em harmonia com o plano espiritual, com pensamentos e palavras positivos e firmes, o Gênio contrário não terá forças para atuar, pois essa vibração positiva o afasta. Dizem que ele ronda as pessoas como um leão (símbolo do instinto); quando pensamos de forma inferior, damos vida a esse leão. O que mantém nos anjo guardião próximo de nós é a luz ou a energia de nossa aura. Se estamos bem, nossa aura se expande e fortalece o contato com nosso anjo. Mas se estamos deprimidos, com raiva ou tristes, nossa aura escurece e diminui, nos tornando antipáticos e nosso anjo não consegue atuar, o que dá força ao Gênio contrário.


Portanto, ficar em sintonia com nosso anjo guardião anula as forças do Gênio contrário. Ele não gosta de ambientes perfumados, por isso e recomendável o uso de incensos. A presença de bebês também anulam suas forças maléficas. Deve-se também evitar acender velas em frente a espelhos, pois isso fortalece o Gênio contrário.


Bibliografia: Mônica Buonfiglio - “Enciclopédia dos Anjos”.